en
Scientific article
Open access
Portuguese

Apreender a alteridade: auto e heterorrepresentações

ContributorsTorrão, Nazare
Published inLíngua lugar, vol. 1, no. 2, p. 14-23
First online date2021-02-26
Abstract

O ser humano é um animal social. A atual situação pandémica e as limitações que impõe aos contactos sociais lembram-nos esta realidade a cada dia que passa. O indivíduo estabelece relações com o Outro, desde o dia em que nasce, primeiro com a família próxima, para pouco a pouco ir alargando o seu mundo de relações e se inserir numa matriz social, que cria o sentido de pertença a um grupo, um Nós. É no seio dessa matriz que cada indivíduo vai formar a sua identidade, através das trocas, contactos e relações que vão orientando as suas escolhas identitárias, quer estas se alinhem com o coletivo, quer se demarquem do mesmo. É nesse sentido que os filósofos da identidade afirmam que o Eu só se pode formar por confronto com o Outro. Como o explicou Paul Ricoeur, entre vários filósofos, só pode ter uma forma narrativa, pois definir-se é, em última instância, contar-se. Indivíduos ou coletividades definem-se através das histórias que contam a si e aos outros sobre si (Ricoeur, 1991). Stuart Hall confirma-o afirmando que a identidade se constrói no interior e não no exterior da representação.

por
Research group
Citation (ISO format)
TORRÃO, Nazare. Apreender a alteridade: auto e heterorrepresentações. In: Língua lugar, 2021, vol. 1, n° 2, p. 14–23. doi: 10.34913/journals/lingualugar.2020.e416
Main files (1)
Article (Published version)
Identifiers
ISSN of the journal2673-5091
129views
27downloads

Technical informations

Creation12/15/2021 8:26:00 AM
First validation12/15/2021 8:26:00 AM
Update time03/16/2023 2:06:52 AM
Status update03/16/2023 2:06:52 AM
Last indexation01/29/2024 11:08:44 PM
All rights reserved by Archive ouverte UNIGE and the University of GenevaunigeBlack